1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
  • Banner
  • Banner

PDFImprimirE-mail

Vendas devem crescer cerca de 8% em Agosto!

Vendas do varejo na região de São José do Rio Preto devem crescer cerca de 8% em agosto, mês do Dia dos Pais, aponta FecomercioSP

Segundo projeção da Entidade, faturamento do setor deve alcançar R$ 1,7 bilhão no mês

São José do Rio Preto,  31 de julho de 2017 – A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) estima que as vendas do comércio varejista na região de São José do Rio Preto devam atingir R$ 1,7 bilhão em agosto, mês do Dia dos Pais, cerca de 8% de crescimento em termos reais em relação ao mesmo mês de 2016. O aumento projetado para o varejo é 1 ponto porcentual (p.p.) superior à expectativa do setor no âmbito estadual, que tem estimativa de alta de 7%.

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, é importante ressaltar que as projeções se referem às vendas totais do varejo no mês, não estando necessariamente embasadas no movimento decorrente da data comemorativa no período. A possível expansão no faturamento do setor, segundo a Entidade, significa que as turbulências do cenário político, ao menos até o momento, não irão comprometer a trajetória de recuperação do movimento varejista até aqui observada.

Para a Federação, a combinação positiva de elementos determinantes do consumo, como a queda notória da inflação e o ciclo de cortes na taxa básica de juros, fundamenta a melhora nos indicadores de confiança dos consumidores, gerando, assim, um ambiente favorável ao crescimento das vendas.


PDFImprimirE-mail

Lei Autoriza Diferenciação de Preços

LEI Nº 13.455, DE 26 DE JUNHO DE 2017.

Conversão da Medida Provisória nº 764, de 2016

Dispõe sobre a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado, e altera a Lei no 10.962, de 11 de outubro de 2004.

Art. 1o  Fica autorizada a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

Parágrafo único. É nula a cláusula contratual, estabelecida no âmbito de arranjos de pagamento ou de outros acordos para prestação de serviço de pagamento, que proíba ou restrinja a diferenciação de preços facultada no caput deste artigo.

Art. 2o  A Lei no 10.962, de 11 de outubro de 2004, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 5o-A:

“Art. 5º-A.  O fornecedor deve informar, em local e formato visíveis ao consumidor, eventuais descontos oferecidos em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

Parágrafo único. Aplicam-se às infrações a este artigo as sanções previstas na Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990.”

Art. 3o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 26 de junho de 2017; 196o da Independência e 129o da República.



Página 3 de 15

  • Banner
  • Banner
  • Banner
  • Banner